ENTRE EM CONTATO CONOSCO: +55 (19) 3035-1919
+55 (19) 3035-1919

ANÁLISE QUÍMICA POR ESPECTROMETRIA ÓPTICA (OES) EM CAMPO - IDEAL PARA ANÁLISE DO CARBONO EM LIGAS METÁLICAS

ANÁLISE QUÍMICA POR ESPECTROMETRIA ÓPTICA (OES) EM CAMPO - IDEAL PARA ANÁLISE DO CARBONO EM LIGAS METÁLICAS

 

A espectrometria de emissão óptica (OES) móvel é uma técnica que proporciona PRECISÃO, EXATIDÃO e ALTA PERFORMANCE para classificação de ligas metálicas em campo através de uma análise rápida multielementar NÃO DESTRUTIVA.

 

Capaz de detectar quantitativamente e qualitativamente elementos de liga como:  Si, Al, P, S, Fe, Mn, Cr, Ni, Mo, V, W, Co, Cu, Nb, Zn, Sn, Ti, Zr, Pb entre outros, essa técnica possibilita também a análise precisa do elemento CARBONO (C), essencial para classificação de aços carbono, aços baixa liga, aços inoxidáveis das séries L, H e S entre outros.

 

 

 

 

 

Diferenciais do Serviço:


- O ensaio já inclui classificação comercial da liga conforme norma requerida (ASTM, EN, ASME etc.)

 

- O ensaio possibilita o cálculo instantêneo do carbono equivalente (CE)

 

- A equipe técnica da J.Ometto é formada por um engenheiro de aplicação e técnicos de materiais qualificados, sendo todos treinados para trabalho em altura e espaço confinado

 

- Equipamentos de última geração

 

- O serviço agrega também o ensaio de dureza, quando aplicável, para auxílio na classificação do material;

 

- Inclui laudo técnico assinado por engenheiros mecânico e químico, entregue em até 48 horas após execução do ensaio.

 

 

Fundamentos da Técnica:

 

O princípio de funcionamento da espectrometria óptica tem como base a medição das três grandezas físicas básicas da luz: intensidade (ou amplitude), frequência e polarização (ângulo de vibração), assim como os princípios de qualquer onda eletromagnética.

 

Na prática, ou seja, em um espectrômetro de emissão óptica podemos observar essas grandezas através da excitação de uma amostra de um determinado material proporcionada por uma tensão elétrica. O eletrodo descarrega uma tensão elétrica com auxílio de um gás inerte (normalmente argônio 5.0 / 6.0) sobre a superfície do corpo de prova onde os átomos vaporizados são levados a um estado de alta energia, possibilitando visualizar as três grandezas físicas da luz emitidas para cada elemento presente no respectivo material/liga e que são decifradas pela óptica/UV presente no sistema do espectrômetro.

 

Dessa forma, podemos dizer que a função do espectrômetro é separar e selecionar as linhas espectrais para analisá-las e quantificá-las. Esta operação é executada por um instrumento óptico chamado policromador, que possui um canal de entrada, uma rede de difração e vários canais de saída que contabilizam o número de elementos a analisar.

 

Os tubos de fotomultiplicadores ou sensores fotovoltaicos estão localizados em cada canal de saída e tem a função de analisar e converter a energia de fótons coletada em elétrons-volts. Assim, esses elétrons-volts são capturados por uma aquisição eletrônica e processados automaticamente pelo computador, que determina a qualificação e quantificação em massa dos elementos químicos presentes na respectiva liga.

 

 



Análises Químicas